5 de fev de 2011

A letra H



E aí, amiga ou amigo!

Mais uma pequena matéria em nossa caminhada. Desta vez a coisa é rápida e bem fácil. Carregue seu bilhete único, não se esqueça de comprar o jornal e sigamos a materiazinha.

//

Muito bem... a letra H é bem interessante. Sabia que inicialmente a letra H não era considerada uma consoante? Pois é, pois é, pois é... ainda hoje há controvérsias.

Essa letra permanece, por razões etimológicas, no início e no fim de algumas palavras.

hoje, haver, habitat, homem etc.

No meio dos vocábulos, o H aparece compondo os dígrafos ch, lh e nh.

achar, chave, malha, tamanho etc.

Se não houver esses dígrafos e se a etimologia não der razões para o emprego, o H não deverá ser usado.

O H não deve ser usado no fim de substantivos e nem no fim de vocábulos que o uso consagrou sem a tal letra (BECHARA, 2005, p. 94).

O antigo ph de pharmácia é substituído por f: farmácia; filosofia.

O antigo ch de cherubim e de christão é substituído por qu antes de e ou i e por c antes das outras letras: querubim; cristão.

O substantivo próprio BAHIA tem H devido à tradição etimológica.

Algumas interjeições também usam. Ah! Uh! Oh! Hem!

É isso. Nem sentiu nada, né? Fala a verdade...
A próxima matéria será sobre as CONSOANTES MUDAS e sobre o uso de SC.

Até lá!

Fagner

Nenhum comentário:

Postar um comentário