7 de set de 2010

A estrutura do enunciado - 1ª parte: FRASE



Muito bom... esta é a primeira matéria da parte de sintaxe. Uhhh... calma, não se preocupe, tentarei fazer com que não saiamos traumatizados.

Entraremos numa área de risco? Sim, é um lugar perigoso, mas não podemos ficar a vida toda, enquanto falantes do Português, como subordinados... (ops... foi mal, fui infeliz na escolha da palavra). Sem mais conversinha: comecemos logo pelo indispensável neste momento.

Já vimos como os sons são produzidos, depois subimos um degrau e modulamos esses sons transformando-os em fonemas, em seguida classificamos esses fonemas e os distribuímos para suas respectivas gavetas, selecionamos vários e formamos algumas palavras e agora, com as palavras construídas, devemos ir para o 5º dos degraus: formar frasesorações, períodos e por essa vereda iremos...

Estudaremos primeiramente os conceitos de FRASE, ORAÇÃO e PERÍODO.

Hoje, pra começar de maneira tranquila, veremos apenas FRASE, certo?

Eu até tentei escrever sobre tudo, mas vi que estava ficando enorme, parecendo o texto de uma gramática em forma de livro mesmo, então dividi em três partes.

As próximas matérias serão, respectivamente, ORAÇÃO e PERÍODO.

Boa sorte e lembre-se: eu estou aqui pra estudar também; entre em contato sempre que se perder por aí.

O que é frase?

Frase é todo enunciado que tem sentido completo; que seja capaz de completar o percurso da mensagem. Aí vem o linguistinha e diz: “então a placa do banheiro feminino é uma frase?” Olha... sim se pensarmos que se trata de um signo linguístico que, colocando em palavras, faladas ou escritas, ficaria “este banheiro é feminino”. Então, pra deixar mais claro ainda:

Frase é todo enunciado com sentido completo; que seja capaz de completar o percurso da mensagem devendo sempre ser representada por palavras faladas ou escritas.

Ex.:
Pare!
Socorro!
Meu violão está desafinado.
João foi à feira. (momento nostálgico e ultrapassado (¬.¬))
Já chega de exemplos! (foi um exemplo, tá?)

Atenção! A frase pode ter ou não verbos!

A frase tem fins unicamente comunicativos.

Na fala, as frases sempre vêm acompanhadas de gestos e variações na entoação. Isso reforça o ato comunicativo.

Na escrita, é preciso utilizar a pontuação.

Classificação das frases

As frases são classificadas de acordo com:

1 – o sentido implícito na entoação:

     DECLARATIVA – informam um fato. Declaram uma afirmação ou negação.

          Afirmativa – Ex.: esta frase é afirmativa
          Negativa – Ex.: esta frase não é afirmativa

     INTERROGATIVA – são usadas quando há a intenção de obter uma informação.

          Direta – Ex.: Você já sabe tudo sobre frases?
          Indireta – Ex.: Quero saber se você já sabe tudo sobre frases.

     EXCLAMATIVA – O emissor bota pra fora seu sentimento. A entoação é tudo aqui.

          EX.: Sim, já sei!
                 Muito obrigado!

     IMPERATIVA – Mostra uma ordem, conselho, pedido etc.

          EX.: Se já sabe, vá estudar agora as orações.
                 Vai logo, meu!

2 – a construção frasal:

     NOMINAL – É sempre a frase que não tem verbo.

          Ex.: Silêncio!
                 Boa noite! Tudo bem com você?

     VERBAL – É sempre a frase que tem verbo.

          Ex.: O dia hoje está frio.
                 Vamos tentar falar sobre a oração na próxima matéria

Muito bom, foi fácil, fácil. O que achou?

Na próxima matéria, veremos as orações. Espero que seja tão fácil como foi esta.

Começamos bem o caminho que nos levará às subordinações e... bom, melhor descobrirmos cada coisa em seu devido momento, né? Por enquanto, é importante dizer que, se você está lendo o finalzinho desta matéria, já era: acabou de entrar na sintaxe, amiga ou amigo. Pra sair, tem que continuar a caminhar sem olhar pra trás.

Até a casa das orações, meu caro, minha caríssima.

Referências: PASCHOALIN & SPADOTO.
BECHARA, Evanildo.

7 comentários: