21/08/2010

Os elementos mórficos

                        

Olá, ilustres! Como estão? Bem? I hope so!

O título desta matéria é meio sinistro, não é? "Os elementos mórficos".
É... "forte", mas não há motivos para medo; prometo que essas coisas não irão assustá-los nem mordê-los nem deixá-los loucos; são apenas mais daqueles termos "pesados" da normatividade. Esta matéria dá início aos nossos estudos morfológicos; inofensiva; sério! Bem-vindos à Morfologia.

Bom, se já está lendo este parágrafo, está na hora de saber uma coisinha: usei o título "elementos mórficos" só pra dar um pouco de tensão na matéria. Na verdade, essas coisas são mais conhecidas como morfemas. Ah, agora sim, né? Muito bom… clareou, clareou.

Em uma palavra temos os morfemas como unidades possuidoras de significado. Há morfemas lexicais e morfemas gramaticais.

- Morfemas lexicais (lexemas ou semantemas… :P): indicam o significado primitivo da palavra; a ideia básica.

- Morfemas gramaticais (gramemas ou formantes): indicam as flexões da palavra quanto ao gênero, número, pessoa, modo e tempo.

Vejamos a análise mórfica (uh!) da palavra linda. Onde estará o morfema lexical e o morfema gramatical?

          linda = lind – este é o morfema lexical indicando o conceito básico da palavra: alguma coisa, ou alguém, homem ou mulher, de grande beleza.

          linda = lind-a – o ‘a’ é o morfema gramatical que indica que a palavra está no gênero feminino e no singular.

Vale observar aqui uma das propriedades dos morfemas. Se mudarmos o morfema gramatical ‘a’ para o morfema gramatical ‘o’, a palavra flexiona apenas o gênero, mantendo intacta a ideia de grande beleza. Se mexermos no morfema lexical, iremos alterar a raiz(1) da palavra e, consequentemente, seu conceito, sua ideia, seu significado primitivo; tire o morfema lexical ‘lind’, coloque ‘fei’ e verá o que acontece.

Além disso, podemos brincar ainda mais. Inclua o morfema gramatical ‘s’ no final e a palavra será flexionada em número.

fei – a                      lind – a
fei – a – s                lind – a – s
fei – o                     lind – o
fei – o – s               lind – o – s

Radical, desinência, afixo, vogal temática e tema

Radical - (1) Falamos há pouco de raiz; sim, o morfema lexical é também chamado de raiz da palavra ou radical. O radical vem carregado de sentido dando significado e rumo à palavra. Combinando o radical com alguns vários morfemas gramaticais, é possível formar palavras cognatas. “Ó pai, ó”:

                                                                  -a
                                                                  -eiro
       morfema lexical (radical)        pedr-             -eira            morfemas gramaticais
                                                                  -ada
                                                                  -ejar

Desinência (morfemas flexionais) – as desinências indicam as flexões das palavras. Temos:
         Desinências nominais  – ‘o’ indicando gênero masculino
                                           – ‘a’ indicando gênero feminino
                                           – ‘s’ indicando o plural (o singular é caracterizado pela ausência de uma desinência. Morfema-zero, Ø)

         Desinências verbais – indicam o modo, tempo, pessoa e número nas formas verbais:
                                      escrev – erão = indicativo / futuro / 3ª pessoa / plural
                                      escrev – i = indicativo / pretérito perfeito / 1ª pessoa / singular

Afixos (morfemas derivacionais) – geralmente modificam o sentido da raiz à qual se agregam, formando palavras novas. Temos dois tipos de afixos, os prefixos e os sufixos.

- Os prefixos são os afixos que se antepõem ao radical:
              desleal

- Os sufixos são os afixos que se pospõem ao radical:
              terreiro

Vogal temática é a responsável pela ligação entre o radical e as demais desinências ou sufixos. Analisemos os elementos formativos da palavra estudamos.

             estud – a – mos (o morfema ‘a’ liga o radical ‘estud’ com a desinência verbal 'mos'; vogal temática, portanto)

Tema este é fácil; é igual a uma fórmula matemática:
                                       T = R + VT
     Onde: T = tema
               R = radical
               VT = vogal temática

     Sendo assim, localizemos o tema da palavra estudamos.
               T = R + VT
               R = estud-
               VT = -a-

      Logo: T = estud + a
      Resposta: T = estuda-                (quem disse que gramática não pode ser exata?)

Ufa! Acho que basta por agora, né?

Fala a verdade, não são tão assustadores, são?

É um prazer saber que estás lendo estas últimas frases. A próxima matéria da parte de morfologia será FORMAÇÃO DAS PALAVRAS. É melhor ter fôlego; vai ser uma saga.

Mônica e Cami, beijos...

Referências: CUNHA, Celso. Nova gramática do português contemporâneo.
ALMEIDA, Nílson T. de. Gramática da língua portuguesa para concursos.

11 comentários:

  1. É né engraçadinho...vc me assustou mesmo com essa conversa de "elementos mórficos"...aiaiaia...q medooooo. Mas...no final ficou td explicadinho...nos mínimos detalhes. Show Fa. Bj

    ResponderExcluir
  2. Muito bom !!
    Está de parabéns , você não sabe o quanto isso me ajudou !

    ResponderExcluir
  3. obrigada msm se num fosse isso ai eu nem tirava 10.0 obrigada msm. *-*

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a explicação, me ajudou bastante.

    ResponderExcluir
  5. pow show de bola a explicação

    ResponderExcluir